@pegadoradelivros

"—Pessoas más são pessoas tristes. Por isso elas são más. Ele não deve ter nenhum amigo pra ficar feliz.
—Se ele pedisse desculpas você desculparia ele, Marcelo?
—Não. Eu também estou triste. Tristeza faz a gente virar uma pessoa ruim."

Quando eu pensei que nenhum livro fosse me perturbar mais do que "Objetos Cortantes", surge Gustavo Ávila (@gus_avila) com "O Sorriso da Hiena". E, galera, posso dizer que esse cara deixa Gillian Flynn no chinelo.

Imagine você, com 8 anos, vendo seus pais sendo mortos, seu pai sufocando com o próprio sangue, e sua mãe levando um tiro na cabeça. E depois? Só uma criança órfã. Calada. Com medo. Má.
E então, anos depois, você faz o mesmo que fizeram com você, com outras crianças.
Por conta de assassinatos brutais de pais de crianças de 8 anos, a vida do psicólogo William vira de cabeça para baixo. E ele só tem duas opções: 1- Concordar com o assassino, não contar nada para a polícia e comprovar seus estudos... Ou 2- fazer o que é certo e impedir.

Genial. Essa é a melhor palavra para descrever esse livro. Dá para ver por meio da narrativa o quanto o livro foi bem trabalhado e detalhado. Gustavo, está de parabéns com esse trabalho.
Deveria ser uma leitura obrigatória para todos (claro... Menores de 14 anos não hahaha), pois com esse livro, podemos ver como a mente do ser humano funciona em meio às tragédias e perdas.
Uns superam e seguem a vida.
Outros... Descontam a dor, a raiva e o trauma em outras pessoas. Mas, será que por trás do ódio não há uma gota de bondade?

Class: ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️💜

Gustavo Ávila